Siga oGol no facebook
        bet365

        Friburgo

        Alemanha
        Alemanha

        Nome da competição

        A cidade universitária junto à Floresta Negra acumula os títulos de capital do ciclismo e de cidade mais quente do país. Além disso, tem a hospedaria mais antiga da Alemanha, fundada há 800 anos. A mais antiga hospedaria  da Alemanha − hoje um moderno hotel com restaurante − chama-se "Zum Roten Bären" (Urso Vermelho), existe há mais de oito séculos e está localizada no sudoeste do país, em Freiburg. Sua idade está documentada judicialmente desde que seu proprietário, Hanmann Binger, foi testemunha de uma briga em seu estabelecimento em 1311. Nunca houve ursos vermelhos na região, por isso acredita-se que o nome tenha se originado da pintura do prédio com sangue de boi, usual para as famílias de mais posses na época. Como havia mais casas desta cor nas proximidades, era preciso distingui-la com outro nome, em que se usava então plantas ou animais. Hoje em dia, o famoso estabelecimento em Freiburg tem endereço de verdade: Oberlinden 12.   No ano de 1091, a linhagem Zähringer começou a construir um castelo no morro Schlossberg, mas os direitos de cidade só seriam concedidos em 1120. As grandes reservas de prata das minas na Floresta Negra contribuíram para sua rápida prosperidade. A então capital do Estado de Baden passou por diversas hegemonias, seja dos Habsburgos, seja dos franceses.   Capital alemã do sol Esta, no entanto, é apenas uma das várias atrações da cidade de 200 mil habitantes na região de Breisgau. Por ser a cidade mais ensolarada do país, com uma média de 1800 horas de sol ao ano − e graças a isso também a de temperaturas médias mais altas − Freiburg dispõe de um enorme parque de captação e aproveitamento de luz solar. Este potencial garantiu que até o estádio do clube de futebol, o Freiburg SC, seja iluminado com a energia do sol. Esta importância espelha-se em duas grandes feiras que acontecem regularmente, a de energia solar e a de biotecnologia.   Pequim e Freiburg têm em comum que o número de bicicletas é o dobro do de automóveis registrados. Em Freiburg, é uma questão ecológica, tanto que a cidade considera-se "capital alemã do meio ambiente". Os estacionamentos para carros são raros no centro da cidade, os para bicicletas são quase incontáveis, especialmente à volta dos prédios da universidade. Uma extensa rede de ciclovias atravessa toda a cidade. Mesmo assim, alguns trechos são bastante apertados, como por exemplo a chamada Ponte Azul, que passa por cima dos trilhos da ferrovia, em direção à universidade: diariamente ela é utilizada por mais de 10 mil ciclistas. Contudo, o pitoresco bairro histórico da cidade, o coração de Freiburg, também é tabu para os ciclistas. Cuidadosamente restauradas após os bombardeios que as destruíram em 1944, as ruelas estreitas e cheias de ângulos deste que foi um dos primeiros calçadões da Alemanha convidam para um passeio a pé. Mas cuidado, elas ocultam uma série de armadilhas traiçoeiras: os Bächle (riachinhos). Esses estreitas canaletas d’água ao longo do meio-fio cortam todo o centro, um passo em falso e os sapatos estão encharcados. As conseqüências são das mais graves: quem pisa num Bächle casará com alguém nascido na cidade. Pelo menos é o que afirma um provérbio local.    

        Fonte: http://www.dw-world.de/dw/article/0,,1361078,00.html

        Fotografias(4)

        Freiburg (GER)
        Freiburg (GER)