Siga o canal do youtube do ogol.com.br
        1xBet
        Sem rivais depois de início conturbado

        2015: Corinthians de Tite sobra e conquista o hexa

        2020/08/06 12:08
        Texto por Caio Fiusa
        E3

        Que todo Campeonato Brasileiro é difícil e disputado o torcedor de qualquer time já sabe. Porém, a dificuldade e, consequentemente a pressão, de uma equipe aumenta quando ela é eliminada no Estadual pelo arquirrival, cai na Libertadores para um adversário sem tradição e durante o nacional perde uma dupla de ataque formada por ídolos que foram os protagonistas dos dois maiores títulos de sua história. 

        O Corinthians de 2015 passou por tudo isso e, de maneira impressionante, deixou os rivais para trás, abriu larga vantagem, ganhou a competição com três rodadas de antecedência, goleou o rival e ainda teve Renato Augusto como melhor jogador nas duas eleições de maior prestígio nacional: o Bola de Prata e o Prêmio Craque do Brasileirão. Ao final do ano, o melhor ataque com 71 gols marcados e a defesa menos vazada com 31 sofridos viu o Atlético Mineiro a 12 pontos de distância. 

        Eliminações e saída de ídolos

        O começo do Brasileiro foi conturbado para o Corinthians. Eliminado na semifinal do Paulista para o arquirrival Palmeiras, nos pênaltis, o clube sofreu um duro golpe na Libertadores. O Timão fez sua parte e avançou como líder do grupo 2, que ainda tinha São Paulo, segundo colocado, San Lorenzo, então atual campeão, e Danubio. Mas nas oitavas, o Alvinegro caiu para o Guarani, do Paraguai, o que gerou pressão em torno do elenco.

        "Foi um momento difícil. Nós estávamos montando um time competitivo e saímos precocemente dessas competições. As pessoas tiveram dúvidas e passaram a apontar o dedo. Nós sabíamos que o nosso time era bom. Quando se trata de time grande, existe a expectativa por títulos. Nós tivemos que focar no Brasileiro, nos fechamos, trabalhamos e quando vimos, estávamos voando e conquistamos o campeonato", contou o volante Cristian a oGol.

        ©Getty / Friedemann Vogel
        O Corinthians estreou no nacional de 2015 contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte, vencendo por 1 a 0, três dias antes da eliminação na Libertadores. Na segunda rodada, mais três pontos, dessa vez sobre a Chapecoense, em casa. Na sequência, empate sem gols com o Fluminense, que marcou a despedida de Paolo Guerrero e Emerson Sheik. A dupla de atacantes, ídolos corintianos, assinou com o Flamengo e fez falta ao elenco, como revelou Cristian.

        "Pra nós foi muito ruim porque eram dois jogadores importantíssimos. Um, autor do gol do Mundial, outro, com gols na final da Libertadores. O clube vivia uma montagem de time diferente, os campeões de 2012 estavam saindo. Quando eles saíram, nós sentimos muito. Mas por outro lado, chegaram jogadores como o Vágner Love que trabalharam forte e ajudaram o time a encaixar’’, comentou Cristian.

        Sequência de invencibilidade

        Já sem a dupla de ataque, o Corinthians foi derrotado no Dérbi para o Palmeiras, por 2 a 0, em plena Arena, e pelo Grêmio, em Porto Alegre, por 3 a 1, resultados que deixaram o time a cinco pontos do então líder Athletico Paranaense. O clube ainda se recuperou ao bater o Joinville, em Santa Catarina, por 1 a 0, e o Internacional, em São Paulo, por 2 a 1, antes de reencontrar a derrota em novo clássico, dessa vez, por 1 a 0 para o Santos, na Vila Belmiro. Revés que ficou para trás e quase não foi lembrado na continuidade da campanha.

        ©Getty / Friedemann Vogel
        A grande sequência de invencibilidade corintiana começou na nona rodada, com vitória sobre o Figueirense, em casa, por 2 a 1, com gols de Vágner Love e Jádson. Nesse período, o atacante Luciano teve um bom desempenho e engatou três partidas marcando, porém a fase artilheira do jogador foi interrompida por uma grave lesão. Após balançar as redes no empate por 1 a 1 com o São Paulo e anotar dois gols cada nas vitórias por 4 a 3 sobre o Sport e por 2 a 1 diante do Avaí, o atacante rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho no clássico contra o Santos, em duelo válido pelas oitavas da Copa do Brasil. Mais um contratempo no ataque. Substituto imediato, Vágner Love assumiu o comando de ataque.

        "Quando o Luciano começou a ser titular e o Vágner Love foi para o banco, nós torcíamos da mesma maneira, porque, automaticamente ele indo bem, todo mundo iria também. Éramos um grupo muito unido. Infelizmente, ele teve essa lesão, que foi muito triste, mas ficamos felizes também por ver que a situação mudou totalmente para o Vágner Love. Nos abraçamos, demos força ao Luciano e ele retribuiu. É complicado quando o jogador tem lesão em um bom momento, precisa de apoio, mas ele tinha a cabeça boa e se recuperou", lembrou Cristian.

        O Timão só foi reencontrar a derrota no Brasileiro na 26ª rodada, quando perdeu para o Internacional, no Beira Rio, por 2 a 1. Entretanto, o Atlético Mineiro foi goleado pelo Santos no litoral paulista por 4 a 0 e a distância para o principal concorrente permaneceu em cinco pontos. Depois disso, nova sequência de resultados positivos. Um dos motivos que ajudam a explicar a consistência da equipe era a presença de jogadores experientes.

        Além de Cristian, na época com 32 anos, o plantel de Tite contava com Danilo (36), Edu Dracena (34), Ralf (31), Jádson (31), Vágner Love (31) e Elias (30). Por outro lado, havia uma mescla com a juventude dos pratas da casa Guilherme Arana (19) e Malcom (18). Apesar de jovens, a dupla já possuía experiência para agregar ao grupo.

        "Foi muito legal porque os dois eram muito calejados da base, sentiam a adrenalina. A cobrança na base é forte. Eles eram jogadores diferenciados nos treinos. Eu sempre comentava com o Arana que ele tinha muito potencial, mas não estava tendo oportunidades. Eles são moleques do bem e nos ajudaram até demais, já que estavam acostumados com o clima 'Corinthians'. Eles nos ajudaram e nós os ajudamos", contou o experiente Cristian.

        Atuações de gala

        O Corinthians seguia líder, com o melhor ataque e defesa menos vazada, mas via, ainda que não de muito perto, o Atlético Mineiro tentando uma aproximação. Na 33ª rodada, os dois alvinegros se enfrentaram na capital mineira. Naquela altura, o Galo estava a oito pontos de distância e uma derrota no confronto direto poderia complicar os planos corintianos.

        ©Getty / Alexandre Schneider
        Com um Independência lotado e empurrando a todo momento o time da casa, as equipes fizeram uma primeira etapa equilibrada. O Galo quase marcou em uma escorada de Lucas Pratto e em uma cabeçada de Dátolo. O Timão chegou perto com duas finalizações: a de Renato Augusto foi por cima e a de Malcom parou em Victor.

        No segundo tempo, não deu para o Atlético Mineiro. A expressiva vitória corintiana começou a ser construída aos 22, quando Jádson aproveitou o rebote e cruzou na cabeça de Malcom, que mandou no contrapé de Victor e abriu o placar. Seis minutos depois, bola nos pés de Jádson novamente e passe para Vágner Love, que limpou a marcação e finalizou no alto: 2 a 0. Ainda teve tempo para Renato Augusto levantar na área e Lucca, de voleio, fazer um golaço e definir.

        "Foi o jogo mais marcante, ainda mais para mim que sou mineiro. Rolou um clima de decisão e Belo Horizonte parou. Eles criaram um 'jogo de final' absurdo. Nós entramos com muita concentração porque sabíamos que seria um passo enorme rumo ao título e conseguimos dar um baile dentro do Independência. Eu considero um divisor de águas. Se perdêssemos, eles encostariam, mas se ganhássemos, iríamos nos afastar e com certeza, não chegariam mais em nós", comentou o volante que entrou na reta final do jogo.

        Depois da convincente vitória em Minas Gerais, o Corinthians bateu o Coritiba, em casa, por 2 a 1 e foi até São Januário encarar o Vasco. O gol de Vágner Love garantiu o empate e o título com três rodadas de antecedência. A festa começou no dia 19 de novembro, ao final do duelo com o Cruz-maltino e só terminou no apito final da partida seguinte, três dias depois.

        Isso porque na 36ª rodada, o campeão Corinthians recebeu o São Paulo, em Itaquera. Antes da bola rolar, Tite havia comunicado que o Timão iria a campo com um time reserva. Apenas Cássio, Felipe e Ralf, dos considerados "titulares", iniciaram a partida. E o placar foi surpreendente: vitória de goleada por 6 a 1, o maior resultado do Majestoso, nome dado ao confronto entre as duas equipes, com direito a defesa de pênalti do goleiro corintiano.

        ©Getty / Friedemann Vogel
        "O Tite deixava bem claro que o treino era como o jogo. O nosso coletivo era muito intenso, com o nível alto. Quando ele falou que o time reserva, muita gente desacreditou, acharam que estávamos fazendo corpo mole, mas quem entrou naquele jogo, foi para jogar uma final, mesmo já sendo campeão. Nós encaramos aquela partida como uma oportunidade para a próxima temporada. Nem nos nossos melhores sonhos imaginávamos que iria sair tudo perfeito", disse Cristian, autor de um dos gols da goleada.

        A conquista aumentou a coleção de troféus de Tite no comando do Alvinegro. O treinador já havia vencido o Brasileiro em 2011, a Libertadores e o Mundial, em 2012 e o Paulista e a Recopa Sulamericana, em 2013. O técnico deixou o clube no meio da temporada seguinte para assumir a seleção. O volante Cristian destacou as qualidades do ex-comandante.

        "O Tite é muito transparente, se entrega muito e é competitivo demais. Ele gosta do alto nível e tira o máximo de cada atleta nos treinamentos. Ele sabia que tudo aquilo que treinássemos, iríamos fazer no jogo. Aí que está o diferencial dele. É um cara concentrado e intenso em tudo o que faz, não à toa é o técnico da seleção", finalizou o jogador.

        Números da edição: 

        Média de gols: 2,36 gols/jogo

        Melhor ataque: Corinthians - 71 gols

        Melhor defesa: Corinthians - 31 gols sofridos 

        Artilheiro: Ricardo Oliveira (Santos) - 20 gols

        Jogador com mais partidas: Victor (Atlético Mineiro) - 38 jogos

        Comentários (3)
        Tenha em atenção as Regras de Conduta antes de escrever o seu comentário. Se não as conhece poderá ser uma boa oportunidade para o fazer aqui.
        motivo:
        2015 um ano inesquecivel do timão !!!!
        2020-08-07 00h02m por Fieldanfer
        Esse corinthians de 2015 na minha opinião de torcedor ao lado do corinthians de 98/99 foram os melhores corinthians campeões brasileiros da história, a diferença é q o time de 98/99 era mais recheado de craques, e o time de 2015 foi um time mais coletivo e sem tantos craques assim mais o estilo de futebol dos dois times foram muito semelhantes.
        E a memória mais marcante
        2020-08-06 15h52m por ScPKoHx
        A memória mais marcante do Hexa foi, obviamente, o clássico Majestoso.

        Corinthians foi campeão em partida contra o Vasco, lá no RJ, e o jogo seguinte era contra o São Paulo.
        Aí começaram as provocações. Corinthians iria receber a taça contra um rival, e a torcida são paulina dizia que iriam jogar água no chopp. Naquela época, eu trabalhava no chão de fábrica em uma multinacional no Brasil, e lembro que vários conhecidos são paulinos diziam que iriam carimbar noss...ler comentário completo »
        Hexa memorável
        2020-08-06 15h41m por ScPKoHx
        Lembro muito bem daquele ano. Foi conturbado no início.

        Mas o time se encaixou de uma maneira extraordinária. Foi até um pecado que tenha caído na Libertadores e Paulista, porque jogava por música. Lembro do Tite-Taka, as triangulações nas laterais, e as trocas de passes entre Elias, Renato Augusto, Jadson e Fágner, que deixavam a torcida eufórica.

        A imprensa parecia revoltada, começou a criar uma "campanha" dizendo que o Corinthians iria dar uma de "cav...ler comentário completo »
        Links Relacionados
        Jogador
        Equipe
        Competição
        SIMULADOR OGOL
        Oficial
        Transferência confirmada entre rivais na Série B. O Guarani vai receber, por empréstimo, o lateral esquerdo Erick Daltro. Erick Daltro chegou a ser titular em três ...
        ÚLTIMOS COMENTÁRIOS
        vala-riaaraa-jo 23-09-2020, 12:50
        vala-riaaraa-jo 23-09-2020, 12:42
        vala-riaaraa-jo 23-09-2020, 12:35
        JU
        julianodonay819 23-09-2020, 12:30
        Lucas17 23-09-2020, 12:18
        Lucas17 23-09-2020, 11:37
        JP_Tricolor 23-09-2020, 11:26
        JP_Tricolor 23-09-2020, 11:25
        JP_Tricolor 23-09-2020, 11:23
        JP_Tricolor 23-09-2020, 11:21
        JP_Tricolor 23-09-2020, 11:19
        ScPKoHx 23-09-2020, 11:00
        vala-riaaraa-jo 23-09-2020, 10:42
        ScPKoHx 23-09-2020, 09:50
        ScPKoHx 23-09-2020, 09:46
        vala-riaaraa-jo 23-09-2020, 09:39