Siga oGol no Twitter
        1xBet
        Biografia
        Biografia Jogadores

        Sir Bobby Charlton, artilheiro com classe

        Texto por ogol.com.br
        l0
        E0

        Sir Bobby Charlton é, ao menos, um dos maiores jogadores de todos os tempos na Inglaterra. Mesmo vendo Wayne Rooney passar seus recordes por Manchester United e pela seleção inglesa, o atacante continua na memória dos fãs não só em Old Trafford, como em todo território inglês. 

        O futebol para Charlton vem de berço, já que seus tios, John e Stan Milburn fizeram carreira na Inglaterra em equipes como Leeds United, Norwich e Leicester, e Jackie Milburn foi ídolo do Newcastle. Mesmo o irmão de Bobby, Jack, jogou futebol e com muito sucesso no Leeds do tio e na seleção inglesa, onde conquistou o mundo com seu irmão. 

        O início com Busby

        Bobby, entretanto, trilhou um caminho diferente. Ainda com 15 anos, entrou nas divisões de base do Manchester United, que era comandado por Matt Busby. A forma de o técnico jogar foi um chamariz para a qualidade técnica de Charlton. 

        O futebol inglês, na época, era muito físico. Busby, entretanto, queria um futebol criativo e usou muitos jovens da base. Charton logo teve espaço e fez a estreia profissional em outubro de 1956, marcando dois gols contra, curiosamente, o Charlton Athletic, que na mesma temporada levou um hat-trick do atacante. 

        Já na primeira temporada, Bobby fez 12 gols em 17 jogos. Na semifinal da Liga dos Campeões, marcou contra o Real Madrid, de Di Stéfano, mas os Merengues avançaram. Ao menos na Inglaterra o United acabou campeão, com oito pontos de vantagem para o Tottenham. 

        A tragédia de Munique 

        Na temporada seguinte, Charlton já foi titular e fundamental para o time. Quando as coisas pareciam andar bem, houve uma tragédia que afetou o mundo do futebol, e que ficou conhecida como a Tragédia de Munique. 

        No dia 06 de fevereiro de 1958, o voo 609 da British European Airways acabou caindo nos arredores de Munique, após dificuldades na decolagem em dia de muita neve na cidade. Nele estava o time do United que havia eliminado o Estrela Vermelha da Liga dos Campeões. 

        Bobby escapou da tragédia, mas não do trauma. Naquela época, Charlton já era um atleta da seleção inglesa, mas só nos anos seguintes o jovem conseguiu ter forças para se firmar de vez no time e virar uma lenda. 

        O atacante fez parte da reconstrução do United e viveu sua temporada mais goleadora em 58/59, com 29 gols em 39 jogos pelos Diabos Vermelhos, média de 0,74 por partida. O clube, porém, só voltou a ser campeão em 1963, e da Copa da Inglaterra. 

        O artilheiro dos Três Leões 

        Charlton fez seus primeiros jogos em Copas em 1962. Marcou um gol contra a Argentina na única vitória inglesa, mas a seleção dos Três Leões acabou eliminada nas quartas de final para o Brasil, que acabou campeão do torneio. 

        Quatro anos depois, a história foi diferente. Charlton chegou na Copa do Mundo a ser disputada na Inglaterra em alta. Depois de uma primeira fase sem tanto brilho e apenas um gol contra o México, Charlton chegou confiante para o jogo da semifinal, com Portugal. Eusébio marcou, de pênalti, mas Charlton já havia marcado os gols que colocaram a Inglaterra na decisão. 

        A final foi um jogaço contra a Alemanha, de Beckenbauer. Empate no tempo normal, vitória inglesa na prorrogação. Os irmãos Charlton, Bobby e Jack, estavam no topo do mundo, com grande destaque para o camisa 9, que estava no ápice da carreira. 

        Os recordes

        O bom momento do atacante seguiu nos anos seguintes, sempre superando Eusébio, o outro grande atacante do futebol europeu da década. Em 1968, o United venceu o Benfica, de Eusébio, e conquistou a Liga dos Campeões. Bobby marcou dois gols na final: um no tempo normal e o do título, na prorrogação. 

        Charlton quebrou recordes no Manchester United e só deixou o clube depois de 249 gols em 758, número que só foi superado décadas depois por Wayne Rooney. O atacante jogou ainda a Copa de 1970, e deixou a Inglaterra depois de 49 gols em 106 jogos (de novo, só superado por Rooney). 

        O atacante ainda teve experiência como jogador/treinador no Preston e jogou em países alternativos, como Irlanda, África do Sul, Gales e Austrália. Se aposentou no fim da década de 1970 e sua contribuição com o esporte é reconhecida até hoje, com o título de Sir atribuído pela Ordem do Império Britânico. 

        D

        Fotografias(12)

        Desastre em Munique. Bobby Charlton foi um dos sobreviventes
        Lista
        Comentários (0)
        Tenha em atenção as Regras de Conduta antes de escrever o seu comentário. Se não as conhece poderá ser uma boa oportunidade para o fazer aqui.
        motivo:
        EAinda não foram registrados comentários…
        Links Relacionados