Siga oGol no facebook
        1xBet
        Tragédias
        Tragédias

        A morte de Serginho

        Texto por ogol.com.br
        l0
        E0

        Era noite no dia 27 de outubro de 2004. São Paulo e São Caetano jogavam no Morumbi pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro. No minuto 14 do segundo tempo, o árbitro Cleber Abade marcou uma falta de ataque de Jean perto da linha de fundo. Quando olhou para a área, viu Serginho caído. O zagueiro faleceu em campo em uma das tragédias mais chocantes do futebol brasileiro. 

        O começo dessa história é de bem antes da partida, como indicou o goleiro Silvio Luiz para o canal Sportv pouco depois do companheiro ter deixado o Morumbi de ambulância. 

        "Todos nós fazemos exames no início do ano e, não sei explicar ao fundo, mas deu algo de anormal, um entupimento, alguma coisa assim (no exame de Serginho). Mas o risco era 1% de acontecer isso, pelo que ficamos sabendo. Mas estava tudo sobre controle, ele nunca tinha sofrido nada assim", disse Sílvio Luiz. 

        Serginho teve detectada uma arritmia de grau leve. Em fevereiro, após o exame, Serginho chegou a ficar alguns treinos de fora do grupo, mas, de acordo com a avaliação do clube, o problema não o impediria de seguir jogando. 

        Serginho seguiu. Até a noite de 27 de outubro de 2004. Levado de ambulância ao Hospital São Luiz, Serginho foi declarado morto às 22h45, pouco mais de uma hora depois de ter caído no gramado do Morumbi. 

        A polêmica

        O culpado pela morte de Serginho (se houve) nunca foi apontado. Nairo Ferreira, presidente do São Caetano, e Paulo Forte, médico do clube, chegaram a ser indiciados pelo Ministério Público por homicídio doloso. 

        Segundo a acusação, o dirigente e o médico tinham a consciência de que Serginho tinha um sério problema no coração e decidiram não afastá-lo do elenco. O exame da arritmia de grau leve seria muito diferente do apresentado. Mas nada foi provado.  

        Ambos foram absolvidos e o caso foi arquivado. O São Caetano, entretanto, acabou punido no Superior Tribunal de Justiça Desportiva e perdeu 24 pontos naquele Campeonato Brasileiro. 

        A equipe, que lutava por uma vaga na Libertadores e até pelo título, teve de jogar as últimas rodadas do Brasileiro de luto, e lutando contra o rebaixamento (que acabou evitado). 

        A carreira de Serginho 

        Serginho tinha 30 anos quando morreu. Vivia o ápice da carreira e tinha propostas para defender outras equipes do futebol brasileiro ou ser negociado com o futebol europeu. 

        Nascido em Vitória, no Espírito Santo, o zagueiro, canhoto, começou a jogar no interior de Minas. Até que, após passagem pelo Ipatinga, foi para São Paulo. 

        Primeiro para o Araçatuba, mas logo para o São Caetano. Viveu a epopeia que levou o clube da última divisão nacional até um vice-campeonato brasileiro e da Libertadores. 

        Em 2004, Serginho fora campeão paulista pelo Azulão, sob o comando de Muricy Ramalho. Era titular absoluto do time e teve a carreira interrompida por uma tragédia marcante. 

        Comentários (0)
        Tenha em atenção as Regras de Conduta antes de escrever o seu comentário. Se não as conhece poderá ser uma boa oportunidade para o fazer aqui.
        motivo:
        EAinda não foram registrados comentários…
        jogos históricos
        U Quarta, 27 Outubro 2004 - 19:30
        Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)
        Cleber Abade
        4-2
        Danilo 61'
        Júnior 62'
        Grafite 66'
        Rodrigo 78'
        Marcinho 63'
        Ânderson Lima 74'
        Estádio
        Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)
        Lotação67428
        Medidas108,25x72,70
        Ano de Inauguração1960