Siga oGol no Twitter
        1xBet
        Jogos marcantes
        Jogos marcantes

        Argentina 3 x 1 Holanda: a glória tão desejada pelos argentinos

        Texto por ogol.com.br
        l0
        E0

        25 de junho de 1978. Monumental de Nuñez, Buenos Aires. Um estádio cheio. Uma cidade vivendo uma ditadura. Mas em 90 minutos, os problemas foram esquecidos. E até um pouco além dos 90 minutos: neste dia, a Argentina venceu a Holanda, por 3 a 1, e chegou ao topo do futebol mundial pela primeira vez. 

        Os holandeses já haviam sido vice-campeões em 1974 e mantiveram a base, com uma ressalva: Johan Cruyff não viajou para a Argentina. Rinus Michels também já não era o técnico e Neeskens já vivia um declínio de gols (mesmo no Barcelona), mas Ernst Happel era um comandante confiável e Rensenbrink lutou pela artilharia daquela Copa. 

        A Argentina, por sua vez, era uma seleção batalhadora, longe de estar definida por completo por Menotti, que fez algumas mudanças ao longo da campanha. Em destaque, um artilheiro: Mario Kempes, que foi provavelmente o grande nome daquele Mundial. 

        Título com sabor de Tango

        A final foi com cara de Tango. A Argentina entrou para o jogo tentando absorver o clima do estádio, aplicando uma marcação intensa para cima da Laranja Mecânica, que sofreu para criar jogadas. Kerkhof, então, tentou pelo alto, e levou muito perigo. 

        A Argentina priorizava jogadas pelo meio. Usando a técnica, mas também a imposição física. E assim saiu o gol, que teve toda a cara de Mario Kempes. O artilheiro recebeu de Luque na entrada da área, avançou e se jogou na bola para mandá-la para o fundo da rede. 

        Ainda antes do intervalo, a Holanda teve uma grande chance de empatar. Kerkhof desviou de cabeça para Rensenbrink, que apareceu na pequena área, mas Fillol fez uma das grandes defesas da carreira para rechaçar o lance. 

        Os holandeses se adiantaram no segundo tempo, enquanto os argentinos apareciam com cada vez mais perigo em contragolpes. Luque desperdiçou grande chance logo no início. O lance acabou fazendo muita falta... 

        Já aos 36 minutos, Kerkhof apareceu na ponta direita e cruzou para Nanninga, de cabeça, deixar tudo igual. A Holanda ainda mandou uma bola no poste aos 45 minutos, mas não houve virada. O campeão mundial, para aumentar o drama em Nuñez, só foi conhecido na prorrogação. 

        O jogo se tornou ainda mais físico, intenso, brigado. E foi na marra, na luta, que Kempes marcou o segundo gol. Também com um pouco de sorte: a bola bateu em tudo e em todos até que o atacante desse o toque final para o fundo das redes. 

        O gol do título foi de Bertoni, e também assim: pelo meio da defesa, na marra, na confusão, e ainda com tabela com Kempes. Pela primeira vez na história, logo em casa, nos tempos de ditadura, a Argentina conquistou a Copa do Mundo!

        Lista
        Comentários (0)
        Tenha em atenção as Regras de Conduta antes de escrever o seu comentário. Se não as conhece poderá ser uma boa oportunidade para o fazer aqui.
        motivo:
        EAinda não foram registrados comentários…
        jogos históricos
        U Domingo, 25 Junho 1978 - 15:00
        Monumental Antonio Vespucio Liberti (Monumental de Núñez)
        Sergio Gonella
        3-1
        Mario Kempes 38' 105'
        Daniel Bertoni 116'
        Dick Nanninga 82'
        Estádio
        Monumental Antonio Vespucio Liberti (Monumental de Núñez)
        Lotação74624
        Medidas105m x 70m
        Ano de Inauguração1938